Você já ouviu falar da carteira de trabalho digital?

Você já ouviu falar da carteira de trabalho digital? Provavelmente sim! Mas você sabe exatamente o que ela veio substituir?  A Carteira de trabalho digital veio substituir a carteira de trabalho física. Isso elimina um monte de papel que precisa ser guardado durante 10 anos pelas empresas.  Verdade!!! Os documentos trabalhistas precisam ser guardados por 10 longos anos. A empresa adotando o sistema do E-social ela pode aproveitar o benefício da Carteira de trabalho digital. Através do E-social as informações são registradas automaticamente na carteira de trabalho digital dos funcionários. Informações como: Controle de entrega de Carteira de trabalho Registro de férias, promoções, dissidio Livro registro de empregado Veja um pouco do que diz a Portaria SEPRT Nº 1065 DE 23/09/2019: Art. 5º Para os empregadores que têm a obrigação de uso do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas – eSocial: I – a comunicação pelo trabalhador do número de inscrição no CPF ao empregador equivale à apresentação da CTPS em meio digital, dispensado o... ler mais

Tenha Esperança!

Esses últimos dias ando bem corrida, Graças a Deus muito trabalho, ajudando muitas empresas a entenderem o cenário dos seus negócios no meio dessa crise mundial. Criando planos de estratégia para os clientes e também para a minha empresa. Cada um de nós temos uma expertise em uma área. Eu aprendo com o pessoal do RH em como nesse momento manter colaboradores motivados. Impressionante como até a resposta do bom dia da pessoa já nos diz como ela está e chama nossa atenção a cuidar dessa pessoa para que no decorrer do dia ela consiga se reerguer e voltar a esperança. Sou contadora e meu papel na visão de muitos, infelizmente, é que somos despachante do governo. Mas a realidade é que somos, contadores, gestores indiretos do negócio do cliente, psicólogos indiretos dos nossos clientes e colaboradores, médico das empresas! Não se sinta desesperançado nesse momento. Peça ajuda! Busque seu contador, e se no momento você não tiver esse suporte, pode me procurar, não como uma pessoa que você... ler mais

Como criar uma rotina de reuniões produtivas na empresa?

Os tipos de reuniões empresariais Basicamente, existem alguns tipos de reuniões empresariais que se diferenciam por seus objetivos, e devem ser empregados na empresa apenas quando houver necessidade. São eles: #1 Reunião para tomada de decisões É aquela reunião em que o líder expõe dados, opiniões ou problemas para que os presentes (gestores e colaboradores) encontrem diferentes soluções e respostas. #2 Reunião informativa Com as decisões tomadas, essa reunião tem o objetivo apenas de informar aos participantes sobre as decisões para que os esforços de cada um sejam corretamente direcionados. Desse modo, os processos tornam-se mais eficientes, assim como o alcance de resultados positivos. #3 Reunião de feedback Essa é uma rápida reunião para dar o feedback aos colaboradores, ressaltando as melhorias e o que ainda precisa ser ajustado. #4 Brainstorming É uma reunião mais informal que visa estimular a geração de ideias, buscar soluções inovadoras, promover melhorias por meio de um debate saudável e provocar transformações. Essa reunião explora a criatividade dos participantes de maneira bem estruturada e, ao mesmo tempo, lúdica. #5... ler mais

Imposto de Renda Taxista e UBER

Os prestadores de serviço de transporte de passageiros tem um benefício na base de cálculo do IRPF, essa categoria tem uma isenção de 40% sobre os rendimentos tributáveis recebidos. Além desse benefício essa categoria também pode abater algumas despesas específicas da sua base de cálculo.   Para isso é necessário que o prestador de serviço preencha o livro caixa, preferencialmente com a assessoria de um contador, onde controle os valores recebidos e as despesas pagas guardando os comprovantes de tais despesas. As despesas que podem ser deduzidas da base de cálculo são: IPVA e taxas de licenciamento, combustível e gastos com manutenção e limpeza do veículo, gastos com o telefone e nos casos dos prestadores de serviço da UBER Brasil o valor pago de comissão também poderá ser abatida. Se você é prestador de serviço de transporte de passageiros e ainda tem dúvida sobre sua declaração de imposto de renda e não quer ter problemas entre em contato conosco.... ler mais

Imposto de Renda Médicos Pessoa Física

Ao optar por atuar como profissional liberal, isto é, como autônomo, o médico deve emitir os recibos, obrigando-se, no entanto, a manter o livro caixa, obrigatório para quem, como pessoa física, recebe rendimentos também de pessoas físicas. O livro caixa torna-se a contabilidade do profissional médico, registrando todas as entradas e saídas de dinheiro, preferencialmente com a assessoria de um contador, mantendo os dados atualizados para a declaração de imposto de renda. Quais despesas são dedutíveis? Como médico pessoa física, o profissional só pode considerar como despesas profissionais as que forem relacionadas diretamente com sua atividade, autorizadas pela Receita Federal, como, por exemplo, aluguel, condomínio, pagamento de funcionários, energia elétrica, telefone, água e o material aplicado no exercício de sua profissão. O médico pessoa física, portanto, irá fazer a apuração do imposto de renda a pagar somando as receitas e subtraindo as despesas profissionais dedutíveis, chegando ao resultado do seu rendimento líquido, que é o valor usado para recolhimento do imposto de renda. Além do imposto de renda, o médico pessoa física também deve se preocupar com o... ler mais

Desconto em pagamento à vista

    Agora é Lei. Através da Medida provisória 764, que foi convertida na LEI 13.455 de 26 e junho de 2017, os empresários do setor de comércio e serviços podem conceder desconto ao consumidor mediante a forma de pagamento escolhido pelo mesmo. Mas é obrigatório que o varejista ou prestador de serviço informe em lugar visível os descontos que serão oferecidos no pagamento em dinheiro, ou parcelado no cartão de crédito.     LEI Nº 13.455, DE 26 DE JUNHO DE 2017 Dispõe sobre a diferenciação de preços de bens e serviços oferecidos ao público em função do prazo ou do instrumento de pagamento utilizado, e altera a Lei nº 10.962, de 11 de outubro de 2004. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º Fica autorizada a diferenciação de preços de bens e serviços oferecidos ao público em função do prazo ou do instrumento de pagamento utilizado. Parágrafo único. É nula a cláusula contratual, estabelecida no... ler mais

Reforma Trabalhista

Câmara aprova reforma trabalhista e projeto vai ao Senado Após quase 14 horas de sessão tumultuada, a Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quinta-feira a reforma trabalhista. O projeto agora segue para a apreciação do Senado. O texto-base do relator Rogério Marinho (PSDB-RN) foi aprovado na noite da quarta-feira com o apoio de 296 parlamentares, com outros 177 deputados votando contra a proposta. Eram necessários 237 votos para a aprovação. Após a votação do texto-base, os parlamentares passaram a analisar 17 destaques. Quatro deles foram retirados, sobrando 13. Destes, apenas um deles foi aprovado. Ele determina que, nos processos trabalhistas, a penhora on-line deverá se limitar ao valor da dívida que a empresa tem com o empregado. Também prevê que entidades filantrópicas não podem ter recursos penhorados para pagamentos de dívidas trabalhistas. Dentre os 12 destaques rejeitados, um dos mais importantes é o que manteve no texto-base o fim da obrigatoriedade do pagamento do imposto sindical, que é a contribuição que todos os trabalhadores com carteira assinada fazem... ler mais

Pró-labore ou distribuição de lucros?

Se você é empreendedor, certamente já conhece os termos pró-labore e distribuição de lucros (ou dividendos), as duas maneiras de remunerar os sócios de uma empresa. Mas você sabe qual é a diferença entre elas? O pró-labore é o salário que o dono da empresa recebe por trabalhar nela. A distribuição de lucros está relacionada ao investimento que se fez na empresa, ou seja, é a maneira de o empreendedor ser recompensado por ter seu capital investido na firma e pelos riscos que assumiu, quer trabalhe na empresa ou não. Os dividendos são proporcionais ao valor que cada investidor colocou na empresa. Por exemplo, se o capital social é de R$ 100 mil e um dos sócios investiu R$ 70 mil e, o outro, R$ 30 mil, o primeiro ficará com 70% dos lucros, enquanto que o segundo terá direito aos 30% restantes. Não há incidência de Imposto de Renda, nem contribuição previdenciária sobre esse tipo de retirada (dependendo do tipo de empresa – lucro real ou presumido –,... ler mais

Contribuição Previdenciária Patronal na contratação de MEI

A empresa que contrata MEI está obrigada recolher a Contribuição Previdenciária Patronal – CPP? O empresário que pretende contratar serviços de MEI deve ficar atento em relação à obrigatoriedade de recolhimento da Contribuição Previdenciária Patronal (20%). A Receita Federal, por meio da Solução de Consulta Cosit nº 108/2016 (DOU de 01/09) esclareceu acerca da obrigatoriedade do contratante de serviços de Microempreendedor Individual – MEI recolher a Contribuição Previdenciária Patronal – CPP. De acordo com a Solução de Consulta nº 108/2016 – Cosit, desde de 1º de julho de 2009, a empresa contratante de MEI para prestação de serviços de hidráulica, eletricidade, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos, está obrigada a recolher a respectiva Contribuição Previdenciária Patronal (CPP). Em relação à contratação de MEI para prestação de outros serviços, a CPP era exigível a partir de 9 de fevereiro de 2012 (cf. Lei Complementar nº 139, de 2011), mas essa exação foi revogada retroativamente pela Lei Complementar nº 147, de 2014. Portanto, a empresa contratante de... ler mais

Crédito Fiscal para empresas no Simples Nacional

Uma perniciosa combinação envolvendo a complexa legislação tributária brasileira e a falta de conhecimento dos pequenos empresários em relação aos impostos devidos têm feito surgir milhões em créditos que engordam a conta do Fisco, quando na verdade deveriam estar gerando fluxo de caixa para essas empresas. Se nas médias e grandes companhias essa realidade vem sendo arduamente combatida com base num planejamento tributário mais atento e em jurisprudências que avalizam a recuperação de créditos de impostos pagos a maior, o mesmo não se tem visto em relação às empresas do Simples Nacional. Não é difícil identificar os principais aspectos que levam a esse preocupante cenário. Com margens de lucro cada vez menores e a alta carga tributária que lhes acomete, muitos desses micro e pequenos empresários veem-se obrigados a optar por serviços que executem tão somente as obrigações fiscais, sem realizar uma análise mais apurada das transações. É comum, portanto, que tais empreendedores fiquem à mercê das enigmáticas regras por trás da substituição tributária e do regime monofásico do... ler mais
Tem alguma dúvida? Vamos conversar